sexta-feira, 23 de junho de 2017

Aprovado em 16 concursos públicos no AC revela segredos: ‘dedicação e renúncia’

Filho de costureira e de autônomo, o servidor público Jamerson Cruz da Silva, de 30 anos, carrega no currículo aprovações em 16 concursos públicos no Acre. Nascido em Rio Branco, capital do Acre, ele diz que o segredo é a dedicação diária nos estudos e a renúncia de momentos de lazer e vida social. Silva é concursado e continua a buscar outras aprovações. 

O gosto pelos concursos públicos surgiu após ser aprovado, com 17 anos, para o cargo de Policial Militar voluntário da PM-AC, em 2004. Daí por diante, ele passou a colecionar dezenas de aprovações e nomeações nos anos seguintes.

“O segredo é a questão da dedicação em casa. Todas as minhas horas vagas são para os estudos, então, varia de quatro a seis horas por dia, mas tem dia que só tenho uma hora. O importante é estudar todos os dias. Outra coisa é a renúncia. Já abdiquei vários momentos de lazer e vida social para me manter estudando, mas, graças a isso, passei nos concursos”, lembra.

Entre as aprovações, estão cargos na PM em concursos de 2004, 2005, 2008 e 2015, agente penitenciário em 2007, agente de polícia civil em 2012 e perito criminal da Polícia Civil em 2015. Além de cargos na Universidade Federal do Acre (Ufac), Instituto Federal do Acre (Ifac) e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Estou aguardando convocação para perito criminal ou para professor do Ifac. Já trabalhei em quatro dos concursos que passei. Fiz alguns só para testar o conhecimento. A maioria dos que passei, fui nomeado, mas não tomei posse. Vou continuar estudando, meu sonho mesmo é passar para auditor fiscal da Receita Federal”, afirmou. 

Crédito da matéria: 
G1.com Acre

segunda-feira, 19 de junho de 2017

FESTA JUNINA DA MELHOR IDADE


A Prefeitura Municipal de Campo Maior por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social - SEMAS realizará dia 28 de junho no SINTE a Festa Junina da Melhor Idade.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Intensificada limpeza nos bairros de Campo Maior


Mutirão continua limpando Campo Maior

Mais um bairro tem intensificada a limpeza de ruas e avenidas. Desta feita é o bairro matadouro que recebe serviços de roço, capina, retirada de entulhos e desobstrução de sarjetas, como forma de garantir mais conforto à população.

Essas ações, dado o final do período invernoso, são realizadas como forma de melhorar o aspecto urbanístico, como o de evitar proliferação de mosquitos que possam trazer doença aos moradores, inclusive o aedes egypty, responsável pela dengue.

Todas as ruas do bairro serão limpas e retirado toneladas de entulho provocado pelo lixo que é colocado sem acondicionamento, como sacolas plásticas que entopem boeiros e sarjetas.

Sobre o mutirão, o Secretário de Limpeza e Iluminação, Antônio Lustosa explica: “A missão que nós temos de limpar Campo Maior é árdua e demostramos com trabalho. Quanto mais trabalhamos, em menos tempo concluiremos a limpeza do município. Em alguns lugares encontramos situações mais críticas, como algumas ruas do Bairro Matadouro, mas com a mesma garra e força de vontade que limpamos o centro de Campo Maior, limpamos também os bairros", disse o secretário.

Foi informado, ainda, que está sendo providenciado junto à Eletrobras condições para melhorar a iluminação do local, visto que a existente é bastante precária.

Para o presidente da Associação de Moradores do Bairro Matadouro, Eduardo Silva, "é importante esse trabalho realizado pela Prefeitura de nossa cidade, pois representa mais tranquilidade para a população que tem medo de doenças provocadas pelo acúmulo de lixo e sujeiras; por isso, agradecemos o empenho do prefeito professor Ribinha e do secretário Lustosa".

terça-feira, 13 de junho de 2017

'Olha que coisa bonita, mais cheia de graça...'



A paráfrase é bem a tempo. Nosso Açude Grande, realmente, figura como um dos mais belos e importantes cartões-postais "do meu Piauí". Falta-nos a voz do Caetano (Abaeté), os ventos do litoral (Portinho) ou o lamento de Fagner (Orós) para figurarmos como o mais bonito e conhecido Açude de todo o Brasil.

Depois de décadas sendo massacrado com toda sorte de poluição, provocando o cheiro nauseabundo dos finais da estiagem e início do período invernoso, alegramo-nos com o seu novo aspecto, que desperta nossa campo-maiorencidade ainda mais.

O nosso Açude Grande de Campo Maior, para ser limpo da sujeira do homem, foi uma verdadeira novela. Adversários da administração do então prefeito Paulo Martins (2016) - o corajoso prefeito da intervenção no cartão-postal - enfrentou a fúria dos adversários que, alegando crime ambiental (com direito midiático da presença da Polícia Ambiental para embargo da obra). Questões de toda natureza foi levantada. Manifestos de especialistas diziam que estava decretada a morte do açude.

Parece que as profecias "politiquinas" (neologismo mesmo) não passaram de mero exercício de inveja por não terem tido tanto amor e determinação por aquele que agonizava à nossa frente, ano após ano.

A plasticidade com que se desenvolvem as intervenções urbanísticas dão um ar de modernidade. Não são "garotas de Ipanema" que desfilam na sua orla, são as belas mulheres campo-maiorenses que dão graça ao conjunto da obra. Revitalizar é preciso. Taí o resultado. 

Não podíamos ficar na melancolia e no saudosismo das pipas e lata na cabeça da década de 60 do século XX. Estamos no século XXI e, portanto, ansiosos por mudanças e elas acontecem com Paulo Martins e Professor Ribinha.

Viva Mamede Lima, autor da primeira grande intervenção no açude, facilitando a acessibilidade à BR-343, com recursos próprios da Prefeitura de Campo Maior. Viva Carboreto, visionário e entusiasta da nova modalidade da geração saúde: criou o primeiro acesso para as caminhadas matinais e o encantamento do pôr do sol.

Falta-nos, agora, sensibilidade, educação ambiental e respeito para com o Açude Grande de Campo Maior, para que ele se torne um ponto de lazer. Que os primeiros banhistas que de forma tímida refrescam-se em suas águas (antes turvas), sejam incentivo para todos nós outros.

É um lindo estado "camaleônico", como tão bem definiu o campo-maiorense Herivelto Cordeiro.

II Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa é lançada na UESPI

As inscrições estão abertas de 12 de junho até 30 de julho para estudantes

A II Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa foi lançada na manhã desta segunda (12), na Universidade Estadual do Piauí. Com o tema “Tecendo os saberes do nosso povo”, esta edição pretende promover a reflexão sobre a produção textual, aproximando a pluralidade dos saberes do povo piauiense. O lançamento contou a presença de representantes das Instituições de Educação Públicas do estado e do município.
Representantes do Instituto Federal de Educação Tecnológica do Piauí (IFPI), Universidade Federal do Piauí (UFPI), Secretaria de educação e Cultura (SEDUC) e Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) reafirmaram a parceria para a realização da Olimpíada. Diferente de 2016, onde apenas as escolas de Teresina foram atendidas, esta edição todos os municípios piauienses serão contemplados.
As inscrições estão abertas de 12 de junho até 30 de julho. Podem participar todos os estudantes de educação básica regularmente matriculados pela rede pública (estadual, municipal, federal) nas modalidades fundamental e EJA (6º, 7º,8º,9º anos), Ensino médio, EJA e profissionalizante ( 1º,2º e 3º anos).
O Pró-reitor da PREX, Prof. Dr. Raimundo Dutra, explicou sobre o projeto. “Todos os textos escritos pelos estudantes da educação básica pretendem fomentar uma reflexão acerca da cultura piauiense e de nossa identidade. No ano passado tivemos 700 participantes, este anos pretendemos chegar até 4 mil participantes”.
Sobre a organização, a Formadora da Olimpíada Nacional, a professora Shirley Alves, sintetizou que a parceria promove uma identidade cultural dos saberes com o povo piauiense incentivando atitudes criativas da escrita. “Ler é um exercício para a vida", concluiu.
Premiação
A premiação aborda o tema “retratos do nosso povo” nas categorias poema, crônica e artigo de opinião. Medalhas de ouro, prata e bronze serão entregues aos participantes classificados. O regulamento completo da premiação pode ser acessado clicando aqui.
Autoria: Vanderson de Paulo

Vereadores reúnem-se em Campo Maior para debates

IV Encontro de Vereadores da AVEP
Câmaras Municipais de 17 cidades da região se reuniram na última quinta-feira (8 de jun.) em Campo Maior no IV Encontro de Vereadores promovido pela União das Câmaras Municipais do Estado do Piauí (AVEP). Vereadores, controladores e tesoureiros participaram de palestras e exposições com membros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que abordaram prestação de contas, fiscalização e responsabilidade fiscal e penal.

“O encontro é importante porque leva conhecimento as Câmaras, aos vereadores. Isso é de suma importante para nós vereadores e para a sociedade que nos elegeu para ser seus representantes; além de integrar os parlamentares da região. O vereador é a ponta da lança. Nesse momento de crise nós precisamos nos sobressair”, explicou Ronnivom Lima, presidente da AVEP.  

Auditor Fiscal de Controle Externo no TCE, Vilmar Barros Miranda abriu o encontro ao tratar sobre os principais erros nas prestações contas das Câmaras. Ele revelou condutas que são proibidas pela legislação. Vilmar esclareceu dúvidas dos vereadores e apresentou formas do legislativo melhorar sua atuação como fiscalizador. O evento abordou ainda temas como orçamento impositivo, a importância do legislativo à sociedade e responsabilidade administrativa e penal dos vereadores.

Posse
Durante o encontro, a AVEP empossou o presidente da Câmara Municipal de Campo Maior, vereador Fernando Miranda, como diretor regional da entidade. “Essa posse tem uma missão de unificar os vereadores da região e trazer o debate mais próximo possível da população. Assim, juntos, podemos solucionar os problemas das cidades”, delegou Ronnivom Lima.

Vereador Fernando Miranda empossado como diretor da AVEP
“Nossa regional vai ter bandeiras de luta. À frente da Câmara de Campo Maior tenho a bandeira de mostrar como é importante o trabalho do vereador e que juntos nós podemos conseguir benefícios para nossa cidade. Agora essa bandeira é estendida para toda a região. Vamos mostrar que unidos nós somos capazes de modificar a vida do povo”, afirmou Fernando Miranda.

Forró e romance embalam a noite dos namorados no Espaço Cultural


A noite desta segunda-feira 12 de junho, dia dos namorados foi de muitas atrações, passaram pelo palco do Espaço Cultural Dom Abel grandes artistas da música brasileira como Xenhenhém, Walkyria Santos, Limão com Mel e bandas locais como Mister Tcharlys.

A banda Xenhenhém com sua irreverência fez o público tirar o pé do chão e liberar sua energia, Mister Tcharlys  manteve o ritmo, mas foi com Walkyria Santos que o “clima esquentou”, e não parou por aí, pois a tão aguardada da noite Limão com Mel subiu ao palco, caprichou nas canções dançantes e românticas de sua carreira, muitas delas serviram como trilha sonora para casais apaixonados e para quem estava flertando altas paqueras ou “ficando” no espaço de evento.

Outros grandes nomes fizeram parte da programação dos Festejo de Santo Antônio que encerra hoje dia 13, com a procissão da imagem de Santo Antônio às 17horas. Em seguida, bingo de motocicletas e  shows com a cantora Taty Girl, Forró Pra Cima e ainda Anderson Rodirgues.


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Quadrilha Coqueiro Verde encerra o “Esquenta Junino” de Campo Maior


Arquibancadas lotadas
Foram três noites de grandes apresentações no Espaço Cultural Dom Abel com temas diversificados, coreografias de impressionar e muita animação. E foi com essa empolgação que a junina Coqueiro Verde encerrou o “Esquenta Junino” de Campo Maior, na noite desta quarta-feira, 07 de junho. A prefeitura municipal premiou todos os grupos participantes.

O “Esquenta Junino” iniciou na segunda-feira 05, o evento que a princípio seria um festival premiou todos os participantes, um total de 06 grupos, cada grupo levou pra casa um valor de R$ 1.000, (mil reais).

A Secretária de Turismo e Desenvolvimento, Dlany Frota explica que: “A princípio o evento seria um festival, mas tomando por base que nem todas as quadrilhas tinham o figurino completo, conversamos com os quadrilheiros e resolvemos dividir a premiação de R$ 6.000, (seis mil reais) e cada junina levou mil reais, como forma de incentivo”, disse a secretária.
O  “Grupo de Ritmos Luzo Brasileiro de Dança Portuguesa Magia Lusitana”, da cidade de Luzilândia, com 9 pares de dançarinos e um figurino rico em detalhes, foi o primeiro se apresentar no Espaço Cultural na noites desta quarta, levando encantamento, equilíbrio, flexibilidade, postura e sensualidade, com adaptações de técnicas e práticas de nível internacional com movimentos de dança clássica e contemporânea.

As Luzes que me guiam essa noite, me levam até você” foi tema da tradicional Coqueiro Verde de Campo Maior. A junina agradou o público com seu figurino e coreografias inovadas, sintonia e muita animação. Com 28 pares de brincantes o marcador da junina, Cabral, representou os costumes e crença do povo nordestino nas noites de São João.

Ascom/Silvana Morais