domingo, 19 de novembro de 2017

Corrida Unopar-Piripiri: Campo Maior é destaque

Campeão: Estanislau Costa - 3º Lugar: Júlio César
Atletas campo-maiorenses lideraram de ponta a ponta na tarde deste sábado (18 de novembro) os 5 Km de percurso da Corrida Unopar, na cidade de Piripiri.

Estanislau Costa, subiu ao pódio como campeão e o 3º lugar ficou com Júlio César, mostrando o favoritismo dos atletas de Campo Maior.


Para Jardelson Silva, atleta e incentivador de algumas modalidades na cidade, "várias modalidades esportivas têm tomado corpo em Campo Maior, facilitando, assim, o surgimento de novos talentos, como é o caso do jovem Estanislau".

Em sua página no Facebook, Jardelson Silva agradeceu à "Prefeitura de Campo Maior, na pessoa do Prefeito Ribinha Carvalho; do Secretário de Finanças, César Robério Soares Monte; ao Deputado Estadual Aluísio Martins; Só Frango, na pessoa do velho Nataniel Araujo e ao Mercadão Popular na pessoa do amigo Eliseu Sousa".


Dicas para os mais novos











sábado, 18 de novembro de 2017

E AINDA DIZEM QUE NÃO EXISTE PRECONCEITO RACIAL NO BRASIL

Mulheres negras acumulam piores indicadores sociais no Brasil


As mulheres negras acumulam os piores indicadores sociais no Brasil. Os números apontam que elas são as mais pobres, as que têm menos oportunidades, que ganham menos e vivem em uma situação de, praticamente, nenhuma mobilidade social. "As dificuldades de gênero são maiores, mas a mulher negra, em uma pirâmide social, está na base, então a dificuldade de ascender é maior", afirma a ativista e museóloga Rafaela Caroline.
De acordo com o Disque 180, as mulheres negras representam 58,8% das vítimas em casos de violência doméstica. Elas também são 65,9% das que sofrem com a violência obstétrica, como aponta a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Já o Ministério da Saúde mostra que elas morrem mais em decorrência do parto: são 53,9% dos casos.
As mulheres negras também enfrentam desigualdade no ambiente de trabalho. Segundo o IBGE, o rendimento médio delas é de R$ 800 ao mês. Já homens brancos chegam a ganhar quase o dobro: R$ 1.559.
Para tentar resolver o problema, foi criada em 2003 a Secretaria Especial de Política para Mulheres. Desde então, o país reconhecia a necessidade de um olhar mais cuidadoso para a melhoria da qualidade de vida das mulheres negras, porém a pasta foi extinta pelo governo Temer.
Crédito da matéria: Rede Brasil Atual

Com 5.100 inscritos, concurso para Corpo de Bombeiros será no domingo (19)

A maior concorrência foi registrada para candidatas do sexo feminino, com 104.8 por uma vaga.

O Corpo de Bombeiros Militar do Piauí vai selecionar, neste domingo (19), por intermédio do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe), 110 novos integrantes para a corporação. A maior concorrência foi registrada para candidatas do sexo feminino, com 104.8 por uma vaga, enquanto que a concorrência masculina registrou uma procura de 40.5 por vaga. Ao todo, foram 5.100 candidatos inscritos no certame. A prova escrita será aplicada das 8h30 às 13h30.
Todo o aparato de inteligência das polícias Civil e Militar do Piauí estará em alerta para assegurar tranquilidade a quem vai fazer o concurso. A segurança estará reforçada nos oito locais de aplicação de provas. Serão utilizados detectores de metais e equipamentos para detectar mensagens enviadas por telefone celular. A ordem é garantir a tranquilidade dos candidatos e a lisura do processo.
Os portões estarão abertos para ingresso dos candidatos a partir das 7h e serão fechados rigorosamente às 8h, conforme estabelece o edital do certame. O Nucepe reforça que, quem chegar atrasado, não entra.
A direção do Nucepe chama a atenção dos candidatos inscritos no certame para que eles observem as normas do edital, para evitar problemas. “Nós estamos tomando todos os cuidados para garantir que ninguém seja prejudicado no seu direito e o candidato deve fazer a parte dele para que tudo transcorra dentro das condições de normalidade”, pontua o presidente da banca de concursos da Uespi, Pedro Soares Junior.
Além do Campus Torquato Neto, as provas também serão aplicadas no Liceu Piauiense, no Ifpi da zona sul, no Centro Educacional Odilon Nunes e nos colégios Eurípedes de Aguiar, Benjamin Batista, Murilo Braga e Severiano Sousa, todos na zona norte de Teresina.
Mais informações no site nucepe.uespi.br/bombeiro2017
Crédito da matéria: Portal do Governo do Piauí

Adolescente se mata após ameaça de publicação de fotos íntimas e imagens do suicídio são vazadas

Karina era aterrorizada por rapaz de 17 anos que ameaçava publicar fotos íntimas suas
No dia 7 deste mês Karina deixou essa vida. Enforcou-se no quintal de casa e foi encontrada horas depois pela mãe. A dor que sentia, as agonias de uma adolescente marcada pelo bullying e pelo discurso de ódio de colegas da escola só foram descobertas pela família depois, quando em meio ao sofrimento se depararam com o desrespeito à imagem da jovem. Neste sábado, 10 dias depois da morte, uma passeata na cidade onde ela vivia, Nova Andradina, vai alertar sobre os riscos que  o bullyng representa.
Karina tinha 15 anos quando se foi, mas para a família, que agora tenta entender tudo que aconteceu, o sofrimento da menina começou um ano antes, quando conheceu um rapaz, na época com 17 anos. Do relacionamento, a adolescente viu a intimidade exposta, contada de boca em boca pelas pessoas com quem convivia diariamente. Viveu o fantasma do vazamento de fotos, em temos de propagação instantânea pelas redes sociais.
A menina estudava na Escola Nair Palácio de Souza, em Nova Andradina - a 300 quilômetros de Campo Grande, e de tarde fazia curso técnico em administração. Vivia entre a casa do pai e da mãe, que são separados.
“Há uns dois meses atrás ela me perguntou se achava que ela era vagabunda. Me contou que não era mais virgem, falei que isso era normal e aí soube que esse rapaz tinha espalhado o fato. Mas não sabia de foto, isso só descobrimos depois, quando ela morreu”, contou o pai de Karina, o bacharel em direito Aparecido de Souza Oliveira, de 47 anos.
Os sinais da jovem de que algo não estava bem eram mínimos segundo o pai, e só começaram a de fato aparecer nos últimos dias. “Há 20 dias mais ou menos fui chamado na escola, me falaram que ela havia tomado remédio na casa de uma amiga, eu não sabia que remédio era esse. Ela me contou que não queria mais morar aqui, que queria sair da escola”, lembra Aparecido.
Foi só depois da morte de Karina que os pais descobriram a proporção do que a menina sofria. Mesmo depois de algo tão trágico quanto o suicídio, mensagens de ódio passaram a circular nas redes sociais, colegas de escola afirmando que a morte não mudariam o fato de não gostarem da menina, a chamando de “cão”. Críticas sobre o cabelo crespo, que ela costumava alisar, sobre o jeito da adolescente chegaram ao conhecimento dos pais.

Mais de 1,5 milhão de pessoas farão o Encceja neste domingo em todo o país

   Mais de 1,5 milhão de pessoas que ainda não concluíram os cursos do ensino fundamental e médio terão neste domingo (19) mais uma oportunidade de atingir esse objetivo. O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2017 será realizado em 564 municípios de todos os estados. De acordo com o Ministério da Educação, este ano serão 301.583 participantes do ensino fundamental e 1.272.279 do ensino médio. 
  No Piauí, 14.456 candidatos estão inscritos para fazer a avaliação nos municípios de Parnaíba, Picos, Floriano e Teresina. A avaliação serve para obtenção do certificado do ensino fundamental e/ou de ensino médio.
     O exame será aplicado em dois turnos. De manhã, os portões serão abertos às 8h e fechados às 8h45, os testes começam às 9h e terminam às 13h, no horário de Brasília. Os candidatos do ensino fundamental farão provas de ciências naturais, história e geografia. Para o ensino médio, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias,além de ciências humanas e suas tecnologias.
     No turno da tarde, os portões abrirão às 14h e fecharão às 15h15. O exame começa às 15h30 e vai até as 20h30. Os candidatos do ensino fundamental farão as provas de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física, matemática e redação. Para o ensino médio, haverá os testes de linguagens e códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias.
    De acordo com o MEC, as provas objetivas terão, cada uma, 30 questões de múltipla escolha. “Para obter o certificado ou a declaração de proficiência, o participante deve fazer, no mínimo, 100 dos 200 pontos possíveis em cada uma das áreas de conhecimento”.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Audiência Pública discute preço do gás de cozinha em Campo Maior

A alta no preço do gás de cozinha foi discutida durante audiência pública na Câmara Municipal de Campo Maior nesta sexta-feira (17/11). Vereadores, PROCON e representantes de associações buscaram justificativas para o valor elevado e formas de reduzir o preço do produto revendido no município.

“Essa é uma forma de discutirmos o preço do gás. Fiz um levantamento e em todas as outras cidades o preço é menor. Esperantina e Barras são mais distantes e o preço é R$ 10,00 mais barato que Campo Maior. Em que o preço é baseado? Por que o gás em Campo Maior é tão caro?”, questionou o vereador Geraldo Paz, propositor da audiência.

Os vereadores lamentaram a ausência de representantes do Ministério Público e dos proprietários das revendedoras locais. “O Ministério Público e os donos de revendedoras são partes interessadas nisso. Foram convidados, mas deixaram de comparecer. A audiência poderia ter sido bem mais proveitosa com a presença deles” disse Fernando Miranda, presidente da Câmara.

Rondnney Oliveira, coordenador do PROCON, afirmou que o órgão se compromete a requerer informações com as revendedoras e fiscalizar o preço cobrado. “Campo Maior só não é mais caro que Oeiras. Vamos requerer as notas fiscais de quanto eles estão comprando e que apresentem uma planilha dos cursos para vermos se existe ou não uma cobrança abusiva no preço em Campo Maior”, prometeu.

O gás de cozinha é revendido em quatro distribuidoras do município por R$ 83,00. O vereador Hamilton Segundo se mostrou preocupado com a suspeita de combinação de preço. Daniel Soares lembrou o prejuízo para o setor de restaurantes. Luis Lima e Sena Rosa comemoraram o posicionamento do PROCON em buscar esclarecimentos.

Ascom Câmara de Campo Maior 

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Natal Campo Maior abre inscrições para apresentações natalinas


Já estão abertas as inscrições para a agenda cultural do maior natal do Piauí, o Natal Campo Maior. Quem tiver interesse em se apresentar no palco do Natal com peças de teatro, musicais, corais, apresentações de danças, entre outros, pode se inscrever pelo WhatsApp (86) 9 9988-4905.

Com público estimado em mais de 20 mil famílias de todo o estado, Campo Maior receberá do dia 15 a 30 de dezembro, a Vila do Natal, espaço decorado para visitação totalmente gratuito na praça Valdir Fortes. O evento conta com o apoio da Prefeitura de Campo Maior e da Secretaria Municipal de Turismo.
ASCOM - PMCM

sábado, 11 de novembro de 2017

Penitenciária Regional de Campo Maior: inauguração ocorre nesta segunda 13 de novembro




Sec. Justiça Daniel Oliveira e Pref. Prof. Ribinha
O Governo do Estado através da Secretaria de Justiça (Sejus) inaugurará nesta segunda-feira 13/11 a Penitenciária Regional José de Arimateia Barbosa Leite em Campo Maior. A solenidade terá a presença do governador do Estado, Wellington Dias, do prefeito Professor Ribinha, do deputado estadual Aluísio Martins, do secretário de Estado da Justiça, Daniel Oliveira, entre outras autoridades.

Localizada na zona rural de Campo Maior, a Casa de Detenção abre 160 novas vagas no sistema prisional do Piauí. São dois pavilhões, com um total de 47 celas. Na sua estrutura, o local ainda abriga módulos de ensino, consultório odontológico e setor administrativo.

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, observa que a Casa de Detenção José de Arimateia Barbosa Leite de Campo Maior vai colaborar para reduzir o excedente prisional. “Nossa meta é diminuir a superlotação, tornando o sistema mais seguro e efetivo, do ponto de vista da humanização”, destaca.


Fórum em Campo Maior será construído através de parceria do TJ e Prefeitura



Na manhã da última quinta-feira 09/11 o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, desembargador  Erivan Lopes assinou a autorização para iniciar a construção do novo Fórum de Campo Maior, que será erguido no Parque Zurique a partir da próxima semana.

A solenidade contou com a presença do prefeito Professor Ribinha,  do deputado estadual Aluísio Martins e do vereador Luís Lima. A Prefeitura de Campo Maior é parceira da obra porque fez a doação do terreno e é responsável pela urbanização da área em torno.

O novo prédio em Campo Maior vem juntar-se à lista de obras em andamento em outras cidades do Estado. Durante a solenidade, o desembargador Presidente Erivan Lopes ressaltou a preocupação em oferecer estruturas dignas de trabalho e atendimento a todos os que precisem invocar o Poder Judiciário.

O Novo fórum abrigará as varas criminais e cíveis, tribunal do júri e dois Juizados Especiais Cível e Criminal, além de ampla área de estacionamento. O prefeito Professor Ribinha concedeu entrevista à TV Justiça e falou sobre a importância de receber uma nova estrutura da Justiça em  Campo Maior.

ASCOM - PMCM

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Até o final do mês Campo Maior começará a receber iluminação de led

A Prefeitura Municipal de Campo Maior por meio da Secretaria de Iluminação e Limpeza Pública dará início até o final deste mês a implantação do Sistema de Iluminação de Led nas nas ruas da cidade. Segundo o assessor de Projetos da Secretaria, Aquiles Lustosa serão instaladas 4.200 luminárias.

Nesta primeira etapa, que vai até o final do ano, vão colocar 800, começando pela Avenida Santo Antônio, principal corredor de acesso a cidade, e em toda a Orla do Açude. Aquiles Lustosa explicou, que o funcionamento de operação do Sistema de Led de Campo Maior é online e funcionará via rádio.

"Qualquer problema na rede o sistema receberá informação em tempo real, alguns poderão ser resolvido direto do ponto de apoio, outros, que necessitarem da troca de luminarias será feito em um prazo de 24 horas", mostrou Lustosa. Foi concluído o GPS de cada poste ou localização geográfica da zona urbana e vão fazer o da zona rural. 

No mês de junho, foram implementados na cidade os primeiros testes com as luminárias na Praça Bona Primo para os Festejos de Santo Antônio. De acordo com a assessoria da Prefeitura, por meio da Secretaria de Iluminação, todas as avenidas, ruas e bairros da cidade serão contemplados. A empresa que vai realizar os serviços de troca de lâmpadas já se encontra em Campo Maior. Até o mês de junho de 2018, está prevista a conclusão.

ASCOM - PMCM

Feminicídio, uma realidade que o Brasil precisa reconhecer


A estudante Raphaella Noviski, de 16 anos, foi morta com 11 tiros no rosto dentro da sala de aula, em Alexânia (GO). Segundo o próprio assassino, a arma foi comprada um ano antes com esse intuito. Um feminicídio claro, segundo a própria delegada do caso, por se tratar de um crime sexista motivado por um “sentimento de posse” por parte do suspeito. Tal reconhecimento, no entanto, ainda é uma raridade no País.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, 4.657 mulheres foram assassinadas no ano passado no Brasil, mas apenas 11,4% desses casos foram reconhecidos como morte em razão de gênero. Apesar deste estudo não fazer um recorte étnico, o Atlas da Violência mais recente mostra que as principais vítimas são as mulheres negras (63,5% de todas as assassinadas em 2015).

O medo começa dentro de casa. Segundo um levantamento do Mapa da Violência, 50,3% dos assassinatos de mulheres no Brasil são cometidos por familiares. Os números no maior Estado do País também assustam: de todas as mulheres mortas em São Paulo no primeiro semestre deste ano, mais de 30% foram vítimas do marido ou do companheiro.

Os dados chocam, mas parecem ainda não ter sensibilizado completamente o País – especialmente os homens. Uma sugestão popular recebeu mais de 26 mil assinaturas de apoio para retirar o termo feminicídio do código penal. Com isso, a proposta conseguiu número suficiente (são necessários 20 mil) para ser analisada pela Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH). O autor é Felipe Medina, de Minas Gerais.

Para a presidenta da CDH do Senado, Regina Sousa (PT-PI), a apresentação dessa proposta é uma prova de que a sociedade brasileira ainda não entendeu o que é feminicídio. “Infelizmente apareceu esse projeto e ele precisa ser apreciado. Mas acredito que os senadores que aprovaram o feminicídio há tão pouco tempo não concordarão com uma proposta dessas. As mulheres estão em busca de avanços, porque todos os dias elas têm os seus direitos violados”, disse a senadora.

Regina lembra que a tipificação desse tipo de crime é o resultado da luta das mulheres, não havendo razão para modificar a legislação específica (Lei Nº 13.104 /2015). “Estamos muito longe ainda de poder dizer que este tipo de crime está banido do cenário brasileiro. E ele é cometido por um motivo específico: o sentimento de posse do agressor sobre sua vítima”, afirmou.

A Lei 13.104/2015 define que feminicídio é o homicídio doloso (com a intenção de matar) cometido contra mulheres e motivado por violência doméstica, familiar, menosprezo ou discriminação ao sexo feminino. A pena para um homicídio simples varia de 6 a 20 anos de detenção, enquanto o feminicídio impõe de 12 a 30 anos

Crédito: Assessoria de Comunicação da Senadora Regina Sousa,

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Conjunto José Francisco Bona: mais 100 famílias felizes com o calçamento

Prefeito Professor Ribinha recebe cumprimentos de moradores do Conj. José Francisco Bona
O sonho de ter uma rua pavimentada era esperado há 24 anos pelos moradores das quadras F,G e H do Conjunto José Francisco Bona, em Campo Maior, que tiveram o prazer de receber o calçamento na porta de casa.

O sonho está sendo possível porque a Prefeitura de Campo Maior está investindo R$ 250 mil dos cofres municipais para pavimentar os 130 metros de cada uma dessas ruas.

Com o trabalho, que está sendo executado pela Superintendência Municipal de Obras, o Conjunto José Francisco Bona fica totalmente pavimentado, o que era um pedido antigos dos moradores. O povo de lá é só felicidade e a obra está sendo concluída na próxima segunda-feira, 06.11.

O prefeito Professor Ribinha visitou as ruas contempladas e deu os serviços por concluído, recendo do povo o carinho e a gratidão por essa tão importante obra. “Vejo nos rostos e no aperto de mãos dos moradores aqui do José Francisco Bona que a Prefeitura de Campo Maior está realizando uma grande obra”, destaca o prefeito.

O morador Antônio Francisco Saraiva disse que a Prefeitura está retirando uma grande preocupação dos moradores, uma vez que está acabando com a poeira, a lama e com muitas doenças provocadas pela falta de calçamento nas ruas do conjunto. “Agora sim, podemos respirar mais aliviados”, disse o morador.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Famílias campo-maiorenses poderão perder bolsa-família

Senadora Regina Sousa
Foto: Geraldo Magela - Agência Senado
A preocupação da Senadora Regina Sousa, quanto ao Brasil está retornando ao mapa da fome, parece já ser uma realidade em Campo Maior. Com uma economia ainda voltada para a agricultura familiar, aposentadorias e serviço público e um comércio praticamente familiar, os golpes dados pelo Governo Federal já mostram seus resultados, com o aumento de pessoas que procuram a caridade da população para, ao menos, terem condições de uma refeição diária. 

O desemprego esmagador provocado pelo esfriamento da renda, associado à redução dos recursos para o custeio dos programas sociais, já mostram seus primeiros sinais e, consequentemente, sendo o município a única unidade administrativa real, passa a ser um problema que incomoda muita gente.

A senadora petista Regina Sousa, em pronunciamento no Senado, lamentou  a situação de mais de dois milhões de pessoas que estão recebendo vencimentos inferiores ao salário mínimo. Segundo ela "muitos brasileiros estão aceitando trabalhar para ganhar qualquer coisa para não ficarem desempregados”. 

É uma realidade que não se pode desconsiderar. Os cortes, somente no PAA - Programa de Aquisição de Alimentos que adquire produtos da agricultura familiar, para creches, associações de moradores, dentre outras - atingem dezenas de famílias em Campo Maior e vários municípios do Território dos Carnaubais. 

“O mais sério é o corte no próprio programa Bolsa Família. Há 13 milhões de famílias hoje no Bolsa Família. No Orçamento do ano que vem só cabem 10 milhões. Isso significa que vão ter de tirar 3 milhões de famílias no ano que vem, daqui para 2018”, alertou a senadora. 

Esses corte atingirão centenas de famílias campo-maiorenses, que em muitos casos dependem exclusivamente desse benefício. 

Regina Sousa esteve em Montevidéu na última semana para participar do VIII Fórum da Frente Parlamentar Contra a Fome na América Latina e Caribe. Os 19 países que participaram do fórum se comprometeram a delimitar os cem territórios mais vulneráveis e, então, tentar, zerar a fome em cada um.

Em visita aos municípios de São Miguel da Baixa Grande, Prata e São Felix do Piauí no último sábado, 05, a senadora Regina Sousa (PT) destacou os cortes orçamentários do Governo Federal. "Filas nas portas das prefeituras podem voltar em 2018", alertou a senadora. A retirada de 3 milhões do Bolsa Família, o corte drástico no Programa de Aquisição de Alimentos e a retirada da faixa 1 do Minha Casa Minha Vida são os itens que mais afetam os mais pobres.

E não faltam números: redução de 95% do orçamento do programa de cisternas, 86% do programa de Educação no campo, 62% do programa de agricultura familiar, 73% do Pronaf, 79% do Crédito Fundiário e 70% do Programa da Mulher, para citar alguns. 

domingo, 5 de novembro de 2017

Mutirão de Cirurgias Eletivas vai atender 130 pacientes somente neste final de semana

Até o final do ano, a meta é atender 2.000 pessoas.

Somente neste final de semana, 130 pacientes passarão por procedimentos cirúrgicos no I Mutirão de Cirurgias Eletivas, da Secretaria de Estado da Saúde. Os pacientes serão atendidos entre os dias 3 a 5 de novembro, em quatro unidades hospitalares, tanto na capital como no interior. Até o final do ano, a meta é atender 2.000 pessoas. Ao todo, serão investidos mais de R$ 3,8 milhões para a realização dos procedimentos cirúrgicos de diversas áreas.
Desta sexta (3) a domingo (5), os Hospitais da Polícia Militar, em Teresina; o Estadual Gerson Castelo Branco, em Luzilândia; o Estadual Júlio Hartman, em Esperantina; e o Regional de Campo Maior vão atender 130 pacientes, em cirurgias como gerais, ortopédicas, pediátricas e ginecológicas. Além das cirurgias, mais de 150 pacientes passarão por consultas ambulatoriais para triagem e marcação dos procedimentos.
O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, ressalta a importância da iniciativa. “Essa é uma grande ação da Secretaria, que vai congregar 10 hospitais nas mais diversas regiões. E já neste primeiro final de semana, temos quatro hospitais realizando as cirurgias pela modalidade de mutirão”, declarou.
O I Mutirão de Cirurgias Eletivas foi apresentado à sociedade na última segunda-feira (30) e pretende diminuir a fila de espera por procedimentos cirúrgicos. “É um grande mutirão que nós estamos realizando, para que possamos diminuir a fila de usuários do SUS que esperam pela realização de uma cirurgia e também descentralizar o serviço, que vai ocorrer tanto em Teresina com em nove municípios”, afirma.
O Hospital Getúlio Vargas, em Teresina, também realiza mutirão neste sábado (4), numa rotina semanal de mutirões. Para este final de semana, a meta é realizar 26 cirurgias de prostatectomia (retirada da próstata) e hidrocele.
Calendário - 3 a 5 de novembro
Hospital da Polícia Militar - Teresina
Cirurgias gerais e ortopédicas - 4 de novembro
Hospital Estadual Gerson Castelo Branco - Luzilândia
Cirurgias gerais - 3 e 5 de novembro
Hospital Estadual Julio Hartman - Esperantina
Cirurgias gerais - 3 e 4 de novembro
Hospital Regional de Campo Maior - Campo Maior
Cirurgias gerais - 4 e 5 de novembro
Primeiro Mutirão de Cirurgias Eletivas
O I Mutirão de Cirurgias Eletivas vai contemplar cerca de duas mil pessoas, que estão na fila de espera nos dez hospitais da rede estadual. Os pacientes serão chamados de acordo com o procedimento e serão contemplados aqueles residentes na sede do hospital, como também nos municípios no entorno, já que o Mutirão deve atender os pacientes residentes nos 224 municípios.
Para realizar o mutirão, a Secretaria de Estado da Saúde disponibiliza R$3.896.119,33, fruto da portaria 1.294/2017, do Ministério da Saúde. Estão previstas cirurgias como gerais, pediátricas, ortopédicas e oftalmológicas, podendo ser procedimentos ambulatoriais, como aqueles que necessitam de internação hospitalar.